Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

8 mitos e verdades sobre um imóvel financiado

Tire de uma vez por todas suas dúvidas sobre financiamento imobiliário. Veja alguns mitos e verdades sobre imóveis financiados a seguir.

Até que se tome a decisão de entrar em um financiamento imobiliário surgem inúmeras dúvidas, como a melhor opção de parcelas, se vale a penas fazer progressão dessas parcelas, se o aluguel é a melhor opção, entre tantas outras questões que aparecem durante o processo de decisão até que o financiamento seja de fato concluído.


Pensando nisso, hoje trazemos verdade e mitos sobre imóvel financiado e todo o processo que antecede esse passo na vida de quem está procurando uma forma de adquirir a casa própria.

1. Contratos de financiamento são sempre iguais

MITO: Embora possa parecer uma dúvida boba, algumas pessoas podem achar que as construtoras utilizam contratos padrões, modificando apenas valor de financiamento e valor de parcela, mas isso não é verdade!

Entre as tantas diferenças, podemos citar taxas de juros aplicada, formas de pagamento acertada, composição de renda, possibilidade de troca de titularidade no financiamento, entre outros itens.

2. Todos podem participar do programa Minha Casa Minha Vida

MITO: O Minha Casa Minha Vida é um programa do governo que visa facilitar o acesso de famílias menos favorecidas a aquisição da casa própria.

Justamente por ser um programa desse tipo, não serve para contemplar qualquer pessoa. Para participar do programa, o indivíduo não pode ter outra casa, terreno, apartamento, galpão em seu nome, além de respeitar uma renda limite.

3. O processo de financiamento é burocrático

VERDADE: Antes do financiamento ser realizado há uma série de documentos e comprovações a serem levantados pelos candidatos ao financiamento e que serão avaliados pelo banco ou pela construtora. A princípio pode ser que o financiamento seja recusado e os candidatos tenham que recorrer a composição de renda, valores maiores de juros, entre outros.

Então, sim… O financiamento é bem burocrático e a lista de recomendações e exigências é longa. O tempo de aprovação pode ser mais rápido se o candidato se cercar de alguns cuidados e antecipar documentos.

4. Para compor renda é preciso ser casado legalmente

MITO: Geralmente, para atingir os 30% de comprometimento de renda, é comum que os casais componham renda para a aprovação de um financiamento. Mas isso não é regra!

Primeiro que as regras de composição são determinadas por cada instituição bancária e, em algumas delas, o indivíduo pode compor renda com irmãos, mãe, pai, cunhados ou qualquer outro parente. A permissão será concedida de acordo com a linha de crédito e as regras da financeira.

5. Financiar imóvel na planta é melhor

VERDADE e MITO: Quando financiamos um imóvel na planta, ele ainda vai se valorizar no decorrer da construção. Essa valorização pode atingir até 30% em relação a outros investimentos.

Além da valorização crescente, o pagamento do financiamento só terá início depois que os donos do imóvel estiverem com as chaves em mãos. Portanto, enquanto a casa ou apartamento estiverem em construção, pode-se aproveitar o tempo para pagar a entrada de maneira parcelada e sem apertar tanto o orçamento familiar.

Partindo dessas informações, temos uma verdade. Porém, a mesma informação pode ser considerada um mito.

O imóvel vendido na planta só tem um valor mais baixo devido aos riscos do projeto, riscos que são compartilhados entre compradores e construtora. Comprovando isso, os valores aumentam no decorrer do financiamento.

Entre os riscos estão atraso na obra, não cumprimento do projeto à risca até a não entrega das chaves e falência da incorporadora. Portanto, no final de tudo o desconto pode não valer a dor de cabeça e possíveis processos na justiça que podem ocorrer.

6. Com o pagamento das parcelas, a dívida diminuirá na mesma proporção.

MITO: Infelizmente esse é o motivo de muitas brigas judiciais e até mesmo financiamentos que não conseguem ser pagos até o fim. A maioria acha que ao assinar um financiamento com um valor X, esse valor será divido em um número de parcelas que quitadas serão abatidas até que no final o saldo seja 0.

Porém, é preciso estar atento as taxas inclusas no financiamento e que não tem nada a ver com os juros. Taxas como TR, IGP-M, IPCA e INCC – entre outros – são taxas variáveis e que são calculadas levando em consideração vários fatores internos e externos do mercado imobiliário.

Portanto, mesmo quitando as parcelas, pode ser que a dívida aumente devido as taxas incluídas no ato do contrato. Tudo isso será definido de acordo com o sistema de amortização definido na contratação do financiamento.

7. Qualquer imóvel pode passar por um financiamento

MITO: A documentação do imóvel, bem como de seu proprietário, deve estar em dia. Caso contrário, o financiamento será recusado. Além disso, o próprio bem é garantia de pagamento do financiamento, portanto ele deve ter condições de ser habitado e estar em bom estado.

No caso de novas construções o financiamento ocorre mais facilmente, mas em imóveis prontos é preciso que o banco faça uma avaliação que pode ou não ser aprovada.

8. Antecipar as parcelas vale a pena

VERDADE: Se antecipar parcelas não for prejudicar o orçamento da família, será a melhor opção do consumidor. Isso porque o imóvel deixa de ser alienado, além da possibilidade real de redução de juros.

Existem várias outras dúvidas que podem surgir antes de um financiamento, o melhor conselho é: pesquise! Além de pesquisar, leia atentamente o contrato, procure ajuda de um profissional e evite problemas posteriores. Conhecimento é a base para fazer qualquer bom negócio e evitar surpresas desagradáveis.

Fonte: http://www.imovelweb.com.br

Encontre-nos no facebook