Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Aceita meu imóvel? Entenda a permuta como parte do pagamento

Em meio às tradicionais negociações de compra e venda, há uma modalidade ainda pouco conhecida, mas que tem ganhado destaque no mercado imobiliário. Veja!

A troca de um imóvel por outro e o repasse da diferença em dinheiro, apesar de ainda não representar uma significativa parcela dos contratos, tem se firmado como uma interessante opção para quem quer elevar o número de interessados e as possibilidades de venda a curto prazo.

Entenda a seguir alguns detalhes necessários para adentrar o universo da permuta de imóveis:

Como funciona a permuta?

Ao contrário do que muitos pensam, grande parte das permutas não ocorrem na troca por imóveis de mesmo valor, mas sim, quando se coloca um imóvel de liquidez como parte do pagamento.

As negociações mais comuns e consequentemente as que possuem maior chance de fechamento, são aquelas que possibilitam ao vendedor receber, além do imóvel, uma quantia em dinheiro equivalente a 50% ou 60% do valor do imóvel negociado. É possível, porém, haver negociações com percentuais mais altos, mas fique atento pois quanto maior a diferença, mais difícil será o fechamento da negociação.

Como saber se o proprietário está aberto à negociação?

É comum que o proprietário na hora de disponibilizar o imóvel à venda não deixe claro a intenção de permuta – o que não quer dizer que o mesmo não a estude caso receba uma proposta formal.

As negociações mais comuns ocorrem em transações em que o imóvel adquirido na troca garante liquidez ao proprietário, ou seja, que permite fácil comercialização. Por isso, caso queira iniciar uma negociação, é preciso antes de tudo, ponderar sua proposta. Um apartamento no bairro X pode ser um excelente investimento, porém pode também não estar de acordo com a intenção do proprietário naquele momento.

Além disso, se você está interessado em colocar o seu bem como forma de pagamento, a primeira atitude é conhecer o imóvel de seu interesse, ou seja: visitá-lo.

Com as diversas possibilidades que a internet oferece, é comum no cotidiano das imobiliárias receber pessoas interessadas em determinada casa, lote ou apartamento, mas, que só aceitam visitá-lo se o proprietário estiver aberto a permuta – o que pode se tornar a perca de uma grande oportunidade.

Vamos pensar um pouco adiante?

Sua proposta foi aceita pelo proprietário, mas depois de toda a negociação, você conhece o apartamento e não gosta do que vê. Acontece, certo!? Quantas vezes depois de dias escolhendo o melhor hotel para as tão sonhadas e merecidas férias, você é surpreendido pelo maravilhoso mundo do Photoshop, onde tudo é de um jeito nas fotos, mas um pouco diferente na realidade?

O ideal é sempre visitar o imóvel antes de qualquer ação, assim, além de eliminar o risco de não gostar, caso o proprietário não esteja aberto à permuta e sinta que você está realmente interessado, ele ficará mais à vontade para estudar a possibilidade.

Vale dizer ainda que, mais do que apenas visitar, é interessante que você trabalhe em duas frentes, tentativa de permuta ou venda do seu imóvel. Primeiro, coloque o seu imóvel para a venda e em paralelo, visite aqueles que mais se encaixam no seu perfil, assim, você aumenta suas chances e o que se concretizar primeiro, lhe permitirá melhor negociação.

Para te ajudar nessa missão, é importante contar com um intermediador na venda, como uma imobiliária de renome e credibilidade no mercado. Esse é o caso da Casa Mineira, imobiliária que está há 34 anos ajudando várias famílias a encontrarem seu lar na cidade de Belo Horizonte.

Há alguma restrição?

Sim. Para que um imóvel faça parte de uma negociação que envolva permuta, é preciso que o mesmo esteja devidamente quitado, afinal, será necessária a transferência para o novo morador.

Outra dúvida bastante comum entre os adeptos da permuta de imóveis é com relação aos honorários da imobiliária.  Neste ponto, vale ressaltar que, tendo a mesma imobiliária realizado à mediação entre os interessados, os honorários que envolvem a venda são devidos, e cada proprietário faz o pagamento da parte que lhe cabe, conforme definido previamente na autorização de venda e protegido pela legislação brasileira.

Vale ressaltar que a permuta de imóveis não é um tipo de transação simples, do ponto de vista de negociação. É comum vermos transações sem o auxílio de profissionais, terminarem de forma desastrosa, onde uma das partes se considera lesada após a troca. Nesse caso, o papel do corretor é fundamental para não só intermediar os interesses, como também, assumir a responsabilidade de realizar um negócio seguro para ambos, valorizando a transparência e o respeito entre elas.

Por fim, o ponto chave de uma negociação que envolve permuta é que as duas partes precisam estar cientes de que os imóveis em questão são bens distintos, com características próprias e que podem não ser exatamente as que desejam. Diante disso será preciso estar disposto ao diálogo para chegar a um consenso que agrade ambas as partes.

Fonte: http://www.imovelweb.com.br/

Encontre-nos no facebook