Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Apartamentos verdes: plantas deixam ambientes mais aconchegantes

Conheça os cuidados básicos quanto à exposição aos raios solares, rega e adubação

Ao caminhar pelas ruas, basta olhar para o alto para perceber que os apartamentos estão mais verdes e floridos. As sacadas, ao menos, estão. Em meio ao concreto e cores sóbrias dos edifícios, as plantas, se bem cuidadas, oferecem uma forma de manter contato com a natureza. Para que elas vivam viçosas, é preciso ter cuidados básicos quanto à exposição aos raios solares, rega e adubação.

(Foto: shutterStock)

(Foto: shutterStock)

O primeiro passo antes de comprar a planta é avaliar o quanto de luz natural há no ambiente em que se pretende dar as pitadas de verde, aconselha o arquiteto e professor do Instituto Brasileiro de Design de Interiores (IBDI) e do Espaço Plural, Paulo Sá, de Blumenau. Ele explica que há espécies adequadas para cada nível de iluminação. A qualidade de vida e longevidade da planta está ligada diretamente à quantidade de luz natural. E mesmo as plantas que aceitam viver no escuro ou sob luz artificial precisam a cada 30 dias ficar de 48 a 72 horas expostas – diretamente ou não – ao sol.

“Cada planta precisa de uma determinada quantidade luz. Todas precisam, só que umas mais e outras menos. A regra básica é respeitar isso”, afirma Sá.

A vida da planta depende da dose certa de água

Além da luz, é preciso ter atenção às regas. A causa mais frequente de morte entre as plantas cultivadas dentro de apartamentos e ambientes fechados é sede ou afogamento, conta a gerente da Casa di Fiore, de Blumenau, e engenheira florestal especialista em plantas ornamentais, Ana Glória Nunes e Silva. Ela explica que ao comprar a planta, além de levar em conta a luz do ambiente, é preciso informar-se sobre a quantidade de água necessária para que a espécie viva bem. As regas variam também conforme o clima, a incidência de raios solares e a quantidade de terra no vaso. Algumas precisam de água várias vezes por semana, enquanto outras podem ficar até 15 dias sem recebê-la.

Dê preferência ao regador na hora de molhar suas plantas (Fotos: ThinkStock)

Dê preferência ao regador na hora de molhar suas plantas (Fotos: ThinkStock)

“A terra tem que sempre ser mantida de úmida para seca, não pode ficar encharcada. O ideal é sempre colocar o dedo na terra para sentir o nível de umidade”, ensina Ana.

Outro item essencial é a adubação. Paulo Sá recomenda a preferência pelos adubos orgânicos, que demoram mais a dar resultado, mas se assemelham ao que as plantas encontrariam na natureza. A engenheira florestal explica que as adubações – que podem ser químicas – precisam ocorrer todo mês e a troca de parte da terra a cada três meses. A substituição de toda a terra, seguida de boa adubação, deve ser feita uma vez ao ano, de preferência no outono.

jardim no vão da escada

Vão da escada pode ser um ótimo espaço para jardim interno (Fotos: Reprodução/Pinterest)

Para cada luz, uma planta

Sombra
Locais em que não há luz natural ou apenas luz artificial (sala, corredor, hall, etc..)
– Zamioculcas
– Coco vedeliano
– Chamaedorea
– Lumina
– Dracena compacta
– Ráfia

Meia-sombra
Onde a luz natural entra por meio de janelas e portas de vidro
– Pleomele
– Dracena arbórea
– Bambu-da-sorte
– Samambaias
– Dinheiro-em-penca
– Lírio-da-paz
– Véu-de-noiva
– Pacová
– Antúrio
– Orquídeas

Muita luz
A luz natural incide sobre as plantas por pelo menos 4 horas ao dia
– Buxinho
– Hortas
– Palmeiras
– Árvores frutíferas
– Bromélias de sol
– Flores
– Ciprestes
– Pinheiros

Fonte: ZAP Imóveis

Encontre-nos no facebook