Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Busca por qualidade de vida influencia o mercado imobiliário

Os bairros verdes são os mais desejados nos grandes centros urbanos e existe um movimento de interiorização

Ter um imóvel grande, bem localizado, arejado e em um condomínio com toda a infraestrutura de área de lazer, hoje em dia, pode não ser o suficiente para satisfazer os anseios de quem sonha com a casa própria. A busca pela qualidade de vida tem influenciado nas preferências na hora de comprar uma casa ou apartamento.

Nas grandes cidades, os bairros mais verdes se tornam os mais desejados, mas costumam ter os preços mais elevados. Em contrapartida, cidades do interior despontam como alternativas mais baratas e tranquilas. O mercado imobiliário está atento à essas mudanças de comportamento e acompanha essa nova tendência.

 

Qualidade de vida

A busca pela qualidade de vida tem influenciado nas preferências na hora de comprar uma casa ou apartamento (Foto: Shutterstock)

 

As grandes metrópoles brasileiras estão cada vez mais inchadas. As construtoras, cada vez mais, sofrem com a dificuldade de encontrar terrenos para construir seus empreendimentos. Quando isso acontece, os preços são bastante elevados e o espaço não tão amplo. “A matéria-prima de um empreendimento é o terreno e, quanto mais próximo dos grandes centros, mais caros eles são e menos espaço para construir eles têm”, afirma Laudimiro Cavalcanti, diretor do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Rio de Janeiro (Creci-RJ).

 

qualidade de vida

Os bairros verdes contam com áreas mais arborizadas e ainda têm toda uma estrutura completa no entorno, como comércio e serviços (Foto: Shutterstock)

 

Os grandes centros urbanos possuem características inerentes a qualquer grande cidade, como trânsito, poluição e população grande. Porém, para quem busca qualidade de vida e não abre mão de estar em uma metrópole, os bairros verdes se tornam uma boa opção por serem mais acolhedores e por oferecerem uma vida mais tranquila e saudável. As vantagens são inúmeras, mas esses não são imóveis são acessíveis a qualquer bolso, já que tendem a ser mais caros.

Os bairros verdes contam com áreas mais arborizadas e ainda têm toda uma estrutura completa no entorno, como comércio e serviços. “Eles dão a possibilidade de viver mais ao ar livre, ir aos parques e às praças, aproveitar as ciclovias, ou seja, de ter uma qualidade de vida melhor.

Porém, os imóveis nesses bairros têm um preço mais alto. Mas, normalmente, quem procura um bairro mais arborizado para morar não se importa de pagar a mais por uma localização que ajuda no bem-estar”, afirma Rosângela Martinelli, conselheira do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP).

 

qualidade de vida

Cada vez mais é preciso prestar atenção na hora de decidir pelo imóvel ideal (Foto: Shutterstock)

 

Como os bairros mais arborizados das grandes cidades costumam ser mais caros, existe um movimento de interiorização em busca da qualidade de vida. “Esse é um movimento que já existe há uns seis ou sete anos. Há uma migração de pessoas que decidem sair dos grandes centros urbanos para morar no seu entorno”, garante Frederico Marcondes César, vice-presidente do Interior e diretor regional do Sindicato da Habitação (Secovi) na Região Metropolitana do Vale do Paraíba.

Para ele, as vantagens beneficiam todos os lados. O primeiro deles diz relação às construtoras, que conseguem encontrar terrenos com mais espaços e por preços mais acessíveis. O segundo diz respeito à ótica industrial. “Muitas indústrias foram para o interior porque o preço do metro quadrado é mais acessível, existe mão de obra qualificada e ainda há incentivos, como doações de áreas, acesso à infraestrutura de vias e esgotos e ainda isenção de impostos”, acrescenta Frederico Marcondes César.

 

Qualidade de vida

É possível comprar um imóvel na praia (Foto: Shutterstock)

 

Os pontos positivos também se estendem para quem está buscando um imóvel, mas preza por qualidade de vida. “Aqui ainda existe uma cultura de morar perto do escritório, mas há uma mudança de pensamento e de voltar à moda antiga e morar fora dos grandes centros”, diz Cavalcanti. Para ele, também pesa a favor o fato de, no interior, ser viável encontrar terrenos mais espaçosos e ter a possibilidade de construir áreas de lazer maiores.

São muitas as vantagens apontadas para quem opta por viver no interior e busca qualidade de vida. “O preço do apartamento ou da casa é mais barato, assim como o custo de vida. A questão da segurança é importante. Como há muitas indústrias, existem oportunidades no mercado de trabalho. E, além de tudo, o acesso aos grandes centros costumam ser bons e o deslocamento encurtado, em muitos casos”, afirma o diretor do Secovi.

 

Qualidade de vida

É cada vez mais importante a busca de qualidade de vida na hora de escolher a casa própria (Foto: Shutterstock)

 

Além de tudo, para quem deseja ter um imóvel próprio e não abre mão de ter mais qualidade de vida, mas não tem um orçamento folgado para investir em um apartamento ou casa, a questão da economia também conta a favor da escolha pelo interior. “Enquanto o valor do metro quadrado no interior de São Paulo custa, em média, R$ 5.000, na capital o preço médio é de R$ 9.600. Isso significa que o metro quadrado custa quase o dobro, ou seja, enquanto você compraria um imóvel de 100 metros quadrados em São Paulo, no interior teria a oportunidade de adquirir um com quase o dobro do espaço”, conclui Marcondes César.

Fonte: ZAP Imóveis

Encontre-nos no facebook