Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Como escolher materiais para áreas externas do condomínio?

As áreas externas de uma edificação podem ser utilizadas para os mais diversos fins. Muitas pessoas aproveitam para criar um ambiente de lazer, com piscinas, churrasqueiras, terraços, ou ainda utilizar destes locais para áreas de estacionamento. É muito comum também que se utilize as áreas externas para manter um jardim ou quintal, preservando o verde com gramas e plantas dos mais variados tipos.

É preciso lembrar, contudo, que as áreas externas estão sujeitas a sol, chuva, ventos, e isso vai exigir atenção na manutenção para preservar a sua vida útil. A partir daí, surge a dúvida: quais são as melhores opções de materiais para as áreas externas? Neste post vamos falar sobre as melhores escolhas para tornar o seu ambiente exterior mais bonito e como evitar as preocupações com manutenção ao longo dos anos.

Ambiente Interno x Ambiente Externo

Primeiramente, é preciso entender que a escolha dos materiais para qualquer área de uma residência, seja ela interna ou externa, deve levar em consideração alguns pontos importantes.

Pessoas que priorizam apenas a estética, por exemplo, podem se arrepender da decisão a médio e longo prazo por dificuldades de manutenção. Além disso, é preciso tomar bastante cuidado, pois algo que é tendência hoje, pode ficar obsoleto ou fora de moda nos anos seguintes, e reformas (mesmo as pequenas) quase sempre são sinônimos de dor de cabeça.

Já em outros casos, a escolha é feita estritamente pelo lado financeiro, e a consequência disso é o uso de materiais de baixa qualidade e inadequados para a situação. É sempre bom lembrar que, por vezes, o que parece ser uma economia no momento da construção, pode virar um prejuízo bem maior no futuro se for necessária uma reforma.

O ideal, portanto, é pesquisar, analisar, comparar opções e contar com a ajuda de profissionais. Para uma cozinha, por exemplo, os profissionais recomendam a escolha de materiais de limpeza mais fácil, pois é uma área que fica suja com mais frequência. Já para uma área de piscina é uma boa prática optar por materiais porosos, para evitar escorregões e acidentes.

Calçadas

As calçadas são áreas públicas, mas a manutenção é de responsabilidade do proprietário do terreno. Uma calçada bem feita e bem cuidada, valoriza não só a sua casa ou condomínio, mas também contribui como elemento de arquitetura das ruas da cidade.

Primeiramente, deve-se considerar que a calçada é uma área externa, sujeita a intempéries como chuvas e enxurradas, e também que haverá fluxo de pedestres e, para isso, é preciso pensar em um material resistente à abrasão e flexão, tanto do fluxo de pedestres quanto de carros, e que consiga trabalhar devido à dilatação e contração térmica.

Concreto e Pavers

São alguns dos materiais mais utilizados em calçadas, devido à sua resistência mecânica. Também são uma escolha vantajosa por serem baratos, e pela facilidade de encontrar mão-de-obra. Quando combinados com faixas de grama, o aspecto final é bastante agradável, além de contribuir com o aumento da área permeável, permitindo que a água se infiltre no solo. Porém, bastante atenção para os traços: um traço incorreto por significar perda na qualidade e em um curto período de tempo sua calçada estará danificada.

Pedras

As pedras são materiais ideais para calçadas, pois garantem uma resistência mecânica, e como são materiais naturais, são empregados há muitos anos sem o risco de ficar “fora de moda”. Além disso, são porosas e ajudam a evitar escorregões. É possível também encontrar pedras desde as mais acessíveis economicamente quanto as mais exóticas e exclusivas. Alguns exemplos são a pedra portuguesa e pedra miracema.

Terraços

Os terraços são as áreas externas que são opção para quem quer utilizar a região superior da construção, ao invés de ter um telhado. Nos terraços são feitas áreas de lazer, churrasqueiras, piscinas, playgrounds. Portanto, antes de pensar em qualquer material para o terraço, é preciso fazer a impermeabilização.

Atenção: a impermeabilização de qualquer área externa não pode ser feita apenas com os materiais de revestimento.

Esse é um mito que infelizmente ainda existe. O piso escolhido não é capaz de garantir que a sua laje está protegida contra a infiltração. Portanto, somente depois de aplicado um sistema de impermeabilização é que é possível pensar nos materiais de revestimento.

Pisos, azulejos e porcelanatos

Uma escolha muito comum, principalmente pela facilidade de limpeza. Há diversas opções no mercado, principalmente em relação a faixas de preço. As juntas de dilatação ajudam a evitar fissuras e trincas. Porém, se há um tráfego intenso de pessoas ou ainda veículos, pode não ser a melhor opção, pois cerâmicas em geral não possuem boa resistência à flexão. Dê preferência a pisos mais porosos: pisos polidos são boas opções para áreas internas, mas não para terraços.

Pedras

Novamente, pedras podem ser uma boa opção, como o granito, mármore, pedra portuguesa e miracema. Contudo, esse tipo de material pode representar um significativo sobrepeso na laje, portanto, antes de escolher pedras como material para o terraço, certifique-se com seu engenheiro que a segurança estrutural da laje não será comprometida.

Garagens

As garagens e estacionamentos de condomínios em geral são grandes áreas abertas e, portanto, a escolha do material costuma levar em consideração o lado financeiro. Dessa forma, o ideal é escolher um material que consiga aliar resistência para suportar o tráfego, e que seja de fácil execução.

Nesse sentido o concreto, e materiais cimentícios como pavers e blocos em geral costumam ser a melhor opção. É preciso prestar bastante atenção na execução das juntas de dilatação, para evitar que o piso sofra com fissuras devido à movimentação térmica.

Piscinas

Nas áreas externas de piscina é possível usar diferentes tipos de materiais, e ainda não se utilizar de material algum e aproveitar o espaço para cultivar um jardim. A escolha dos materiais de revestimento ao redor de uma piscina devem levar em consideração principalmente a segurança. Em uma calçada, por exemplo, quando está chovendo, as pessoas instintivamente são mais cuidadosas ao caminhar. Em uma área ao redor de piscinas, que acaba ficando molhada, o risco de acidente é muito grande, principalmente com as crianças.

Pisos e azulejos

Muito utilizados, apesar de serem materiais escorregadios. Uma vantagem é a facilidade de limpeza. Sempre que possível, escolha pelos materiais mais porosos.

Pedras

As pedras são uma ótima escolha para bordas e áreas em torno de uma piscina. São antiderrapantes naturais, e são materiais que esquentam menos, mesmo sob exposição intensa aos raios solares.

Madeira

Os decks de madeira são uma opção que deixam o aspecto visual bastante agradável. É bastante importante escolher uma madeira de qualidade e que tenha passado por processos para garantir sua durabilidade. A madeira é um material orgânico, e se não estiver devidamente protegido, pode acabar apodrecendo.

Fonte: Fibersals 

Encontre-nos no facebook