Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Como fazer um projeto para fechar a garagem

Instalar portões e investir no fechamento lateral do espaço ainda garante privacidade e conforto aos moradores

Investir em portas de garagem contribui para a fachada do imóvel – principalmente em sobrados e casas de rua ou em condomínios fechados. | Bigstock

Para potencializar a segurança e garantir maior privacidade ao imóvel, muitos proprietários investem em sistemas de fechamento para suas garagens. A solução, adotada principalmente por quem mora em sobrados ou casas de rua ou em condomínios fechados, também pode contribuir com a estética da fachada, valorizando o bem.

Nos casos em que a garagem já é entregue com cobertura, geralmente executada em laje, o fechamento pode contemplar as laterais do ambiente, garantindo conforto ao uso do espaço. “Isso protege o carro da chuva, ventos e da poeira e permite ao morador acessá-lo sem que esteja sujeito às intempéries do tempo”, explica o arquiteto Luiz Maganhoto.

Os materiais para o fechamento são diversos e vão da alvenaria tradicional e do steel frame ao vidro, toldo ou jardim verticais. A opção varia de acordo com a preferência do morador e o orçamento disponível, mas deve levar em conta o custo-benefício, ou seja, os gastos com manutenção, a durabilidade e a resistência do sistema.

“É indicado que o morador sempre faça uma consulta a um profissional da área, arquiteto ou engenheiro, para que os materiais façam uma composição com a arquitetura do imóvel, combinando com a estrutura já existente, o que valoriza o bem”, acrescenta Maganhoto.

O arquiteto alerta ainda que, no caso do fechamento total da garagem, é fundamental que se deixe um espaço de ventilação, o que reduz o risco de acidentes envolvendo a intoxicação por monóxido de carbono, gás liberado pelo escapamento do veículo.

Portão

Para as garagens que já têm as laterais fechadas, a instalação de portões, em especial dos basculantes – que não ocupam espaço para sua abertura –, é a opção mais adotada pelos proprietários que desejam completar o fechamento e garantir a privacidade do espaço.

Cristiano Rodrigues de Almeida, gerente de vendas da Serralheria & Vidraçaria Sobrinho, conta que o modelo pode ser fabricado com diferentes tipos de materiais, o que permite a personalização das peças. “Ele pode ser feito no formato de grade, com uma composição de ferro e vidro ou com chapas de alumínio. O que não muda é o caixilho, sempre feito com chapa de metal galvanizado pintado com tinta epóxi”, acrescenta.

O custo do m² varia entre R$ 350 e R$ 1 mil, em média. A automatização é cobrada à parte.

Cobertura

Nos imóveis que contam somente com local para estacionamento externo, a instalação de coberturas pode ser a solução para proteger o veículo das intempéries. Ela pode ser realizada por meio de toldos, telhados, vidro ou policarbonato (compacto ou alveolar).

Vagner Silvestre Dias, representante de vendas da CVC Coberturas, diz que estes últimos estão entre os mais requisitados pelos clientes, pois apresentam apelo estético e possuem vida útil mínima de cerca de dez anos, além de permitirem a passagem da luz natural.

O custo das coberturas de policarbonato alveolar gira entre R$ 250/m² (fixa) e R$ 350/m² (retrátil manual), enquanto as do compacto e as de vidro ficam na casa de R$ 480/m² (fixa) e R$ 580/m² (retrátil manual).

Maganhoto lembra ainda que, quando a cobertura corresponder à ampliação da área construída, é necessário reaprovar e substituir o alvará junto à prefeitura para legalizar a construção.

Atenção a detalhes otimiza uso da garagem

O fechamento da garagem pode trazer outras utilidades para o espaço que vão além do abrigo do veículo. Bem planejada, a área pode receber outras finalidades conjuntas, como uma minioficina, uma bancada para artesanato, um espaço de depósito ou até mesmo uma churrasqueira.

Para otimizar o uso da garagem, o arquiteto Luiz Maganhoto ensina que é preciso prestar atenção a alguns detalhes, como a presença de interruptores/tomadas e de um ponto d’água no ambiente. Além de auxiliar na realização de outras atividades, eles permitem à pessoa passar o aspirador e lavar o carro sem maiores transtornos, por exemplo.

A iluminação também deve ser planejada de forma a contemplar um ponto de luz superior, no teto, e outro na lateral, para que a abertura do capô ou da tampa do porta-malas não faça sombra e dificulte a retira de bagagens ou a verificação do motor.

“Também é interessante instalar um piso antiderrapante de fácil limpeza, o que [auxilia] na frenagem e na acessibilidade da garagem”, acrescenta.

Fonte: Gazeta do Povo

Encontre-nos no facebook