Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Condomínio libera água da piscina para moradores limparem casa

Moradores enfrentam problemas no abastecimento há duas semanas. Sabesp confirma que diminui pressão d’água na região do prédio.

Sem água desde a última sexta-feira (30), um condomínio na Saúde, na Zona Sul de São Paulo, liberou a água da piscina para os moradores usarem na limpeza dos apartamentos e vaso sanitário.

Os moradores já enfrentavam problemas no abastecimento de água há duas semanas. Mas, segundo eles, a situação se agravou porque a Sabesp reduziu a pressão d’água e desde sexta-feira as torneiras secaram.

Diante da situação, a síndica Aurilene Santana liberou a água da piscina para ser usada para os moradores limparem a casa. “Não tem água nas caixas dágua. Como que eu vou deixar de liberar a água da piscina? Não tem como. O pessoal quer utilizar o banheiro e não tem água”, diz. A Sabesp confirmou que o condomínio está localizado em uma região onde a companhia diminuiu a pressão da água, mas disse que está trabalhando para não deixar nenhum consumidor mais de 24 horas sem água.

O apartamento da supervisora educacional Eliany Pozzer está com os baldes cheio da água que sobrou do banho e que vai ser usada na descarga. Na cozinha, a pia está cheia de louça usada no dia anterior aguardando a água chegar para ser lavada.

A enfermeira Renata Tavares está tomando banho no local de trabalho. “Onde eu trabalho, não pode faltar água. Tomo banho lá. Levo a troca de roupa todo dia, levo toalha, então, tomo banho fora”, diz.

“Você não pode trabalhar sujo, você não pode trabalhar sem escovar os dentes, é o básico, então, a gente tá impotente aqui no condomínio”, diz Elida Santos, outra moradora.

A aposentada Rita de Cássia Moreno, que tem animais em casa, só reza. “Tomara que tenha água e tomara que chova”, diz. “Durmo fazendo esse pedido. Papai do céu, quem sabe, um dia, ouve minhas preces”.

Fonte: G1

Encontre-nos no facebook