Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Condomínios adotam medidas para incentivar economia de água

Prédios estabelecem racionamento próprio para evitar desperdício. Atitudes colaboraram para descontos em conta de água.

Para incentivar a economia de água, condomínios de prédios em Guarulhos, na Grande São Paulo, adotaram medidas de conscientização entre os moradores. Ações como alertas sobre racionamento contribuíram para que apartamentos recebessem descontos na conta de água.

Sob racionamento da prefeitura, um condomínio no bairro Macedo criou um sistema para alertar os moradores sobre a necessidade da economia de água. Todos os duas, o zelador Isaac Moreira coloca papéis coloridos na entrada dos blocos. “A gente coloca o papel azul quando tem água da rua e o vermelho quando não tem. Os moradores já estão cientes disso”, conta Moreira. A ideia contribuiu para que 80% dos apartamentos conseguissem descontos na conta de água.

Na mesma rua, outro prédio adotou um rodízio por conta própria. São seis prédios, o que totaliza 500 apartamentos, com relógios individuais. A cada dia da semana o registro de uma torre é fechado das 9h às 18h. “Na sexta-feira eu me programo. Levanto cedo, deixo tudo arrumadinho, toma um banho, aguinha dos gatos, louça limpa, um almoço pronto, um lanche. Nada assim com muito sacrifício”, explica a professora Vera Lúcia de Lucca.

Nas áreas comuns do edifício é proibido usar água para a limpeza e as plantas são regadas a cada três dias. Todas as medidas foram decididas em assembleia e a maioria dos moradores concordou com o rodício. “A economia, num primeiro momento, é de 10% de água. Ainda é pequena. Mas mais do que isso, a gente está tentando conscientizar os moradores sobre a necessidade de tomar atitudes”, avalia o jornalista Ernesto Zanon.

Fonte: G1

Encontre-nos no facebook