Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Garagem ou depósito de entulhos?

Como e por que evitar que sua vaga de estacionamento se transforme num ‘armazém de quinquilharias’

Garagens costumam gerar uma série de discussões e atritos em condomínios. Entre os problemas mais comuns estão número insuficiente de vagas, carros maiores do que os espaços para estacionamento, apartamentos que usam mais de uma vaga sem ter permissão para isso e o uso da garagem como uma espécie de depósito de entulhos.

A má utilização da vaga de garagem, em especial, é um assunto sério e o condomínio tem de estar atento para coibir tal abuso.

Primeiramente, segundo Gerson F. Couvo, coordenador-geral do departamento de condomínios de uma administradoraé preciso considerar que cada condomínio tem o seu regulamento interno, e as vagas de garagem devem ser utilizadas de acordo com as disposições da convenção condominial e destas regras internas.

Isso significa que o morador deve seguir algumas condutas essenciais, como, por exemplo, estacionar dentro dos limites da vaga de forma a não atrapalhar a circulação e o estacionamento dos vizinhos. “Mas devem ser respeitados também”, segundo Couvo, “os tipos de vagas existentes na edificação, além daquelas próprias para motocicletas previstas nos condomínios mais atuais”.

Utilização inadequada – Quando a vaga da garagem é utilizada para guardar móveis, materiais e objetos, algo não permitido pelo condomínio, é preciso que a unidade responsável pela vaga seja notificada imediatamente a providenciar a remoção das quinquilharias.

Muitas vezes, a garagem de um morador começa a ficar tão cheia de bagunça que acaba incentivando outros moradores a fazerem o mesmo, o que não é agradável para ninguém.

E se o morador não fizer a remoção dos objetos mesmo após a notificação do condomínio, pode ser aplicada multa prevista na convenção de condomínio ou no regulamento interno. O condomínio também pode providenciar a remoção do entulho e cobrar as despesas da unidade, desde que haja tal previsão no regramento interno. Em último caso, o condomínio pode até acionar o morador judicialmente.

De pneus a baús – O analista de sistemas Thiago Sanches Brambila conta que já teve problemas na sua vaga de garagem quando os moradores começaram a colocar pneus encostados nas paredes para evitar possíveis batidas do automóvel no muro, o que acabava por dificultar o acesso e comprometer a estética.

“Depois dos pneus, as pessoas passaram a colocar outros materiais lá, porque pensavam: ‘se tem pneu, por que não posso colocar uma caixa para guardar ferramentas?’.Um dos moradores chegou a colocar um baú na sua vaga de garagem. Para controlar esse crescimento de ‘objetos estranhos’ foi solicitado que retirassem tudo, inclusive os pneus”, diz Brambila.

Bicicletas e outros objetos – No caso de bicicletas, o ideal é sugerir a criação de um bicicletário no condomínio, desde que seja feito um controle das bikes “estacionadas” anualmente, caso contrário o lugar também corre o risco de virar um depósito de bicicletas que ninguém usa.

Outra possibilidade, quando existe uma grande demanda pelo uso da garagem para a guarda de objetos, é a instalação de armários em uma área comum. A sugestão pode ser levada em assembleia para votação. Caso não haja espaço comum para isso, pode ser sugerido o uso de armários, prateleiras e estantes dentro de cada garagem demarcada, de forma a conter os abusos.

O que diz o Código Civil – Muitas pessoas que fazem uso inadequado da garagem argumentam, quando instados a retirá-los, que os objetos estão na sua vaga, que pode ser utilizada do jeito que bem entenderem. No entanto, segundo juristas, não é bem assim, pois o artigo 1.314 do Código Civil, ao tratar de direitos e deveres dos condôminos, estabelece que “cada condômino pode usar da coisa conforme sua destinação”.

No caso, a vaga de garagem tem como destinação a guarda de veículos, ou seja: carros, motos e até bicicletas. Mas em hipótese alguma pode servir como depósito de entulhos. Dessa forma, se o condômino infrator não atender ao pedido de retirar os materiais de sua vaga, pode ser acionado judicialmente para tanto.

Por meio de uma ação judicial de obrigação de fazer – também denominada de ação cominatória – terá de proceder à limpeza da área. A questão é regulada pelos artigos 632 a 638 do Código de Processo Civil e está prevista no 497 do novo CPC, que deverá vigorar a partir de 16 de março de 2016.

Como manter a ordem

  • Se o apartamento é pequeno e o espaço da garagem é essencial, é preciso ao menos arrumar a bagunça. Uma opção é o uso de estantes ou armários embutidos, que servem para guardar objetos que não devem ficar visíveis na garagem.
  • Painéis e prateleiras também são uma alternativa prática para quem precisa do espaço e tem que manter a ordem. Sobre eles podem ser acomodadas caixas de ferramentas, materiais de jardinagem e esportivos.
  • Quando não der para instalar prateleiras e nem houver espaço para colocar um armário na vaga, o morador pode usar caixas organizadoras para acomodar objetos menores.
  • Os pneus, por sua vez, podem ser cobertos com capas específicas, o que evita o acúmulo de água parada (no caso das garagens descobertas).

         Imagem: Blog Comjol

Fonte: iCondominial

Encontre-nos no facebook