Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Mais tecnologia

Biometria avança e está cada vez mais presente em condomínios

Biometria é a medida de características do corpo humano, considerada de altíssima individualidade e segurança. Propor a solução nos dias de hoje exige conhecimento, mesmo com a alta aceitação, principalmente em condomínios residenciais.

As digitais passaram a ser utilizadas com grande frequência em condomínios para o acesso de condôminos e funcionários, gerando autenticação de entrada, autenticação de saída, controle de permanência de funcionários e até controle de chaves de áreas comuns. Alguns condomínios têm eliminado porteiros, associando sistemas biométricos com tags e câmeras de segurança.

E o controle de acesso facial, onde se encaixa? Com estudos, percebemos que é a tendência. Entretanto, serão necessárias homologações diversas para que o sincronismo das medidas geométricas do rosto analisado pelo software seja efetivo.

Alguns softwares de controle facial criam setas virtuais identificando à distância, por meio de câmeras de segurança, quem está autorizado ou não, mesmo antes da chegada em uma clausura ou portão de acesso. Com a informação no banco de dados, pode-se definir quem executa a triagem para o acesso e quem entra por meio do cadastro pré-realizado.

Vamos avançar um pouco mais? E se tivéssemos um banco de dados com informações das quadrilhas de roubo a condomínios e confrontássemos em tempo real? É uma realidade, mas no Brasil nos depararemos com questões jurídicas que em médio prazo deverão ser discutidas. A Delegacia que investiga roubos a condomínios possui, em média, 150 mil cadastros de criminosos desse segmento.

Todo e qualquer sistema de controle, desde chaveiros-proximidade a reconhecimento facial, geram a dissuasão, aumentando o nível de segurança. Mas o que fazer para que tenhamos uma maior assertividade na proteção? Como aumentar ainda mais o nível de segurança? Tudo se caminha em busca destas respostas, e o sistema biométrico, envolvendo digital, reconhecimento facial e retina, são as principais tecnologias que se integram a circuitos fechados de televisão e alarmes, gerando a maior probabilidade na proteção de bens e na proteção do maior patrimônio: a Vida.

Fonte: http://www.administradores.com.br/

Encontre-nos no facebook