Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Muito além do jardim

Ele pode ser grande e cheio de plantas ou pequenino, com apenas alguns arranjos. Seja como for, boa parte dos condomínios possui um jardim, área que costuma trazer mais vida e alegria para quem mora ou trabalha no empreendimento. Nem todos se lembram, porém, de que é preciso cuidar para manter. E como fazer isso?

Primeiramente é preciso levar em conta que a falta de cuidados pode comprometer o solo e acabar com as plantas do jardim. É necessário ter cuidados especiais que começam a partir da escolha das espécies, principalmente com relação ao porte (muitas vezes os espaços são pequenos), às raízes (para que a impermeabilização não sofra danos), e à incidência de luz solar (importante para o desenvolvimento das espécies). Feito isso, torna-se mais fácil e simples a manutenção.

Contar com a ajuda de empresas especializadas e oferecer cursos de paisagismo e jardinagem aos funcionários são boas maneiras de deixar o jardim do condomínio sempre belo.

Para não perder o investimento – Marcos Daniel Brancher é paisagista e sócio de uma empresa que presta serviços de jardinagem. Ele conta que é muito comum a contratação dos seus serviços por condomínios, tanto para a implantação, quanto para reforma e manutenção.

“Quando é uma implantação de um novo projeto, o contato geralmente é feito pelo sindico ou por alguém do conselho. E quando é manutenção somos procurados pelo zelador”, explica.

Em muitos condomínios a manutenção é terceirizada, ficando por conta da empresa de paisagismo ou do jardineiro contratado, sendo essa uma opção que demanda menos trabalho do zelador, ainda que tenha um custo maior, o que nem todo condomínio quer pagar.

“Já implantamos jardins para os quais o condomínio pagou R$ 33.000,00 na instalação, mas se recusou a pagar R$ 500,00 de manutenção. É uma pena, pois o dinheiro investido no início pode se perder com a deterioração”, conta Marcos.

Jardim e bolso em ordem – Uma opção utilizado para cortar custos e manter a manutenção sempre em dia é a capacitação de zeladores ou responsáveis pela área externa para que eles possam cuidar do jardim com propriedade e conhecimento.

José Carlos Pincello é zelador de um prédio na Vila Mariana, em São Paulo, há 27 anos, e a opção do síndico foi capacitá-lo para não depender de empresas especializadas.

“Há uns anos todo o trabalho de jardinagem do prédio era feito por empresas e eu não entendia muito do assunto, até que um dia o síndico me ofereceu um curso e, aos poucos, fui pegando a prática. Hoje só chamamos a empresa quando precisamos de algo muito específico”, explica ele.

Cuidados essenciais

- Para manter os jardins do condomínio sempre saudáveis a escolha das plantas, flores e árvores é muito importante, afinal cada espécie se dá melhor em determinado solo, espaço e incidência de luz solar

- É melhor optar por qualidade no lugar de quantidade, especialmente se o espaço destinado ao jardim for pequeno

- Em condomínios em que não há um espaço propriamente destinado ao plantio de espécies, vale usar plantas e flores dentro de vasos e espalhá-los pelas áreas comuns, lembrando que também precisarão de cuidados

- Se o condomínio não quer ou não pode gastar com manutenção terceirizada, pode-se avaliar o investimento em um curso de capacitação para o zelador ou demais funcionários

Fonte: iCondominial

Encontre-nos no facebook