Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Novo CPC

Acordo extrajudicial continua sendo uma boa alternativa

Inquilino com atraso no condomínio pode ter bens penhorados
A melhor saída é a negociação. “Muitas vezes com um acordo extrajudicial conseguem se alinhar para ninguém sair prejudicado” afirma Moacir Guirão Junior
Os moradores de apartamento devem redobrar a atenção para evitar atrasos no pagamento de condomínio. Uma mudança no Novo Código de Processo Civil (CPC), que entrou em vigor em março deste ano, prevê a obrigatoriedade de o condômino inadimplente pagar a dívida com o condomínio em até três dias, sob pena de penhora do imóvel ou penhora online das contas em banco. De acordo com o Instituto Pró- Sindico, atualmente, de cada 10 apartamentos pelo menos 2 estão com saldo devedor.
 “Esse tipo de dívida disparou no meio da crise econômica que atingiu muitos brasileiros. Agora, vai bastar um mês de atraso para o condomínio pedir à Justiça a penhora de bens do devedor. É o momento de negociar a dívida para evitar surpresas”, indica o advogado Moacir Guirão Junior. Após acionado, o devedor terá três dias para pagar o débito, ou terá seu imóvel penhorado. Além disso, a lei permite que o pagamento seja parcelado em até seis vezes.
“Ninguém está endividado porque quer, mas, já que a lei mudou, os moradores de prédios devem estar atentos”, alerta o advogado.
Para o advogado Moacir Guirão Junior, a melhor saída para o devedor é negociar o saldo diretamente com o síndico ou administrador do prédio.
“Muitas vezes um acordo extrajudicial pode facilitar a situação de ambas as partes. Mediante a comprovação de que o inquilino está passando por momentos difíceis, as duas partes conseguem se alinhar para ninguém sair prejudicado”, completa Guirão Junior.

Fonte: http://www.abcdoabc.com.br/

Encontre-nos no facebook