Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Portarias remotas: Vieram para ficar?

Mais segura e eficiente, porém não indicada para todos os tipos de condomínio. Conheça um pouco mais sobre a portaria remota

Resultado de imagem para portaria remota

Um dos itens que gera mais preocupação nos condomínios é a questão da segurança. Como o número de pessoas que circula nesse tipo de residência é alto, saber quem está dentro das dependências é primordial. Consequentemente as portarias, um dos itens que geram mais gastos com folha de pagamento em empreendimentos residenciais e responsável por controlar o acesso de pessoas e veículos, recebe uma atenção especial por parte dos síndicos.

Com o alto custo para manter funcionários destinados a portaria e as inúmeras reclamações quanto aos serviços prestados por esse tipo de profissional, é cada vez mais comum que os condomínios optem pela portaria remota. De acordo com informações de empresas especializadas no ramo, o serviço de portaria remota pode gerar uma economia de até 60% das despesas com mão de obra para segurança. Outro dado favorável a esse novo tipo de portaria é revelado por uma pesquisa da Guarnieri Segurança, que aponta que cerca de 70% dos porteiros adormecem no turno da noite.

Porém, para realizar essa mudança, o síndico terá que investir em alguns equipamentos como instalação de câmeras de segurança, contratar uma operadora de internet exclusiva para o serviço, automatizar portões, entre outros itens mais sofisticados como leitor biométrico, interface de PABX, além de adquirir um gerador de energia para em caso de queda de luz o serviço não seja interrompido.

Considerando que em casos de assalto a primeira pessoa a ser rendida é o profissional que se encontra na portaria, o serviço remoto elimina essa possibilidade, já que ela passa a ser controlada por uma central a quilômetros de distância do condomínio.

Além do investimento inicial com equipamentos, o síndico terá que levar em conta algumas especificidades antes de escolher essa modalidade. A empresa contratada, o preço dos equipamentos para instalação e principalmente o tamanho do condomínio. Isso porque alguns empreendimentos, como o caso dos novos condomínios clube, são muito grandes, possuem muitas torres e esses sem dúvidas terão mais dificuldades para adaptação ao sistema devido ao número de pessoas que entram e saem do empreendimento.

 É importante lembrar que mesmo com a significativa redução de custos, a opção pela portaria remota só deve ser tomada se ela for funcional para o prédio.

Por: Guilherme de Paula Pires

Fonte: Viva o Condomínio

Encontre-nos no facebook