Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Whatsapp com a Duplique Desembargador!

Possuir um cadastro dos moradores previne diversos incômodos

Para garantir a segurança do condomínio, uma das formas mais úteis e simples é o cadastro dos moradores. Veja as suas principais vantagens.

Possuir um cadastro dos moradores previne diversos incômodos

Uma das prioridades de todo administrador, seja ele de um condomínio, empresa ou escritório é manter o seu local de trabalho organizado. Arquivos identificados e guardados de forma correta, ambiente do local de trabalho limpo, softwares de gestão que auxiliam no dia a dia do expediente e, especificamente quando falamos de condomínio, a ficha de cadastro dos moradores.

Tema complexo que trata da segurança do condomínio e do próprio condômino, mas ao mesmo tempo pode fazer com que o morador sinta-se invadido em sua privacidade, o cadastro dos moradores é algo simples, porém fundamental para a segurança e a boa convivência condominial.

Por isso, listamos abaixo algumas dicas de como conscientizar os moradores da importância do cadastro, quais são as informações essenciais, os tipos de cadastros possíveis e a sua utilidade.

Palavra do especialista com Luiz Fernando Queiroz: Cadastro de moradores é fundamental para garantir a segurança do condomínio

Formulário do condomínio: Ficha de cadastro de moradores

1- O cadastro dos moradores facilita o cotidiano do síndico e funcionários de diversas maneiras:

Evita que o porteiro confie apenas na sua memória visual para barrar ou permitir a entrada de pessoas estranhas no condomínio; facilita o envio de avisos e multas aos condôminos; organiza o recebimento e distribuição de correspondências e encomendas; em casos de vazamentos de água e gás a comunicação entre síndico, condômino e parte interessada ou afetada pelo vazamento fica facilitada;

E, por fim, auxilia na disposição das vagas de garagem. Se algum carro está em alguma vaga não destinada para ele, o síndico pode consultar o seu cadastro e comunicar rapidamente o dono do ocorrido. Isso pode evitar muitas discussões.

2- Um cadastro completo é o mais indicado. Porém, em casos de relutância por parte do condômino, o preenchimento de algumas informações básicas já basta para facilitar o expediente dos funcionários do condomínio. Essa diferenciação dos cadastros (síndico e portaria) é fundamental para evitar que dados pessoais caiam nas mãos de pessoas estranhas.

Um cadastro completo, que ficará em poder do síndico, e que o mesmo garantirá o sigilo dessas informações constando:

– Nome completo;

– Telefone e e-mails;

– Documentos pessoais como RG e CPF;

– Vagas de garagem utilizadas pelo morador;

– Número do apartamento e bloco;

– Quaisquer outras informações que se façam necessárias em situações emergenciais.

Já o cadastro simplificado ficará na portaria. Este documento irá auxiliar o porteiro sobre pessoas autorizadas a entrar no apartamento do morador enquanto ele estiver fora com os seguintes dados:

– Nome do morador;

– Dependentes;

– Pessoas autorizadas a entrar na unidade, como empregados particulares.

3- Conscientizar os moradores sobre a importância do cadastro nem sempre é uma tarefa fácil. Isso porque muitos condôminos não se sentem confortáveis em repassar informações pessoais a terceiros. Nesse caso, apostar no argumento da segurança é uma boa estratégia.

Enfatize que com um cadastro atualizado, a entrada de terceiros no condomínio será dificultada. Fale sobre como os ladrões estão se especializando cada vez mais, deixando de lado a violência e partindo para a inteligência, utilizando inclusive informações disponíveis pelo próprio morador na internet.

Conscientize-os de que a segurança é uma responsabilidade compartilhada por todos.

Com tanta tecnologia à disposição, passamos a negligenciar algumas técnicas já consolidadas e que ainda nos ajudam muito. Logicamente que o próprio cadastro pode ser feito via virtual. Mas não necessariamente. E, talvez por isso, nos esqueçamos da sua importância. O que é um erro.

Fonte: Guilherme de Paula Pires | Redação: Viva o condomínio | https://vivaocondominio.com.br/

Encontre-nos no facebook