Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Quanto vale seu apê?

Conheça os fatores que colocam o valor do empreendimento sempre em alta e permitem bons negócios na hora da revenda

Quanto valeria uma unidade em seu condomínio? Será que o empreendimento, da forma como está hoje, ajuda a valorizar cada apartamento existente?

Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular em 2013, mais de 50% dos proprietários de imóveis condominiais fazem a compra pensando se será possível ter um bom valor de negociação alguns anos adiante.

Em imóveis localizados em áreas como o litoral, 73% dos entrevistados afirmam que o principal motivo da aquisição é garantir uma fonte de renda futura. E como garantir renda se não houver valorização?

Tudo em dia – Um primeiro ponto, que pode até parecer algo sem muita importância, é estar de olho nas contas do condomínio.

“Um condomínio financeiramente desequilibrado passa a ser um mau negócio para os proprietários, pois as unidades começam a ter problemas para revenda”, explica o diretor de condomínio Antonio Jorge Neto. Isso sem falar que, no caso de valores considerados muito altos, o proprietário se vê obrigado a baixar demais o preço da unidade para conseguir negociar.

Manter a administração em ordem e as contas em dia é, portanto, tarefa essencial para valorizar o empreendimento. ” Em condomínio, além de ter a unidade em perfeito estado, o proprietário que pensa em revender futuramente o imóvel deve ser exigente com a administração”, complementa Jorge Neto.

Áreas comuns x privativas – A valorização de cada unidade depende do quanto é possível “casar bem” o conjunto entre área privativa e área comum.

“Quando não são problemas financeiros que atrapalham as negociações, normalmente são os chamados problemas de manutenção das áreas comuns. Um proprietário que pensa em revender o imóvel futuramente precisa estar atento aos cuidados que a administração presta a essas áreas”, orienta Neto.

Os cuidados com áreas externas, como a fachada do prédio, ou internas, como salão de festas, playground ou quadra são fundamentais para manter o empreendimento bem visto. Quem gostaria de chegar a um condomínio e observar que ele tem áreas abandonadas?

Quem procura um condomínio para morar também o faz pensando na segurança que o lugar pode oferecer. Desta forma, além dos cuidados relacionados à manutenção e aparência do empreendimento, vale manter os equipamentos de segurança sempre em bom funcionamento e os funcionários sempre bem treinados.

Um condomínio que oferece segurança será sempre bem visto e desejado como sonho de consumo.

Sem dívidas  Do ponto de vista do morador, vale estar atento a possíveis dívidas que venham a desvalorizar a unidade conforme aumentam de valor.

O consultor de negócios imobiliários Wagner Vieira afirma que estar em atraso com o IPTU do imóvel pode alterar o preço de revenda em até 40%, dependendo do valor e do tempo de vencimento.

“Quando um imóvel está com débitos em aberto, o comprador pode sugerir um valor abaixo da tabela convencional de venda para cobrir os gastos e isso prejudica o retorno financeiro que o proprietário teria com a venda.”

Fonte: iCondominial

Encontre-nos no facebook