Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Rodapé é item indispensável na decoração

Acabamento entre o piso e a parede adequa o projeto ao gosto do morador

Rodapé funciona como uma moldura, destacando piso e parede. | Antonio More

Rodapé funciona como uma moldura, destacando piso e parede.

Presente em grande parte dos ambientes residenciais e comerciais, o rodapé ganhou status nos últimos anos deixando de ser somente um material de acabamento para assumir uma posição de destaque na decoração dos espaços.

A diversidade de modelos e materiais disponíveis no mercado é um dos fatores que contribui para este cenário e que faz com que os proprietários dos imóveis precisem dedicar um pouco de atenção ao momento de escolher o acabamento.

“Hoje, o rodapé funciona como uma moldura, destacando tanto o piso quanto a parede, valorizando o ambiente acima e abaixo dele”, resume Kleilton Camillo, gerente comercial da Natur Pisos. Não se pode esquecer também que ele protege e veda a parede, além de auxiliar na fixação dos pisos laminados, lembra André Blatt, gerente da rede Granpiso Decor.

O material utilizado para a confecção das peças é uma das características que diferencia os tipos de rodapés. Eles podem ser de mármore, cerâmica, porcelanato, gesso, madeira, MDF, alumínio e EPS (poliestireno expandido), que está entre os mais utilizados nos projetos. Este modelo, que pode ser considerado uma evolução do MDF (muito sensível à umidade e ao desgaste resultante da limpeza do piso), é altamente resistente e à prova d’água, com uma vida útil de cerca de 10 anos.

O formato das peças também é bastante variado. Há modelos lisos (mais contemporâneos), com um ou mais frisos e outros tipos de adornos (com traços clássicos) em diferentes opções de cores, como explica a arquiteta Lis Dias. Alguns rodapés ainda contam com frisos na parte de trás da barra, o que permite “esconder” a fiação elétrica ou de TV a cabo, por exemplo.

Como escolher?

Segundo Lis, não há uma regra para a escolha do rodapé – que pode seguir o mesmo material e cor do piso ou, ao contrário, contrastar com ele –, valendo aqui a preferência do morador. “Uma dica é levar em consideração se a área é molhada ou se será utilizado pano úmido para a limpeza do piso, não sendo indicado o uso de peças em MDF e madeira nestes casos.”

Camillo acrescenta que, em cerca de 80% dos projetos, o rodapé faz composição com o acabamento das portas e de suas vistas. “Quando a referência é o piso [em especial os de madeira ou laminados], há um fator limitador para a escolha do acabamento. Neste caso, o rodapé costuma ser da mesma linha do piso, ou seja, os dois formam um conjunto produzido pela mesma indústria”, explica.

Altura

Outra dica importante para acertar na escolha é prestar atenção à altura do rodapé, que varia de 5 cm a até 30 cm, na média. Lis explica que, quanto menor o tamanho do ambiente e do pé-direito do imóvel, mais baixo deve ser o acabamento, para que se evite a sensação de achatamento do espaço.

 

Encontre-nos no facebook