Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Saiba como proteger seu bicho de estimação dos fogos de artifício

Aprenda também a identificar reações negativas de cães, gatos e pássaros durante o barulho dos rojões.

A expectativa dos torcedores brasileiros é que a seleção canarinha seja uma das finalistas da Copa do Mundo. Se tudo correr bem e a campanha do Brasil prosseguir até as próximas fases, é bom preparar os ânimos do seu animal de estimação. Isso porque nem todo pet costuma reagir bem ao barulho dos fogos de artifício acionados a cada gol do time verde e amarelo.

Gatos costumam apresentar imobilidade ou isolamento em momentos de estresse (Fotos: Shutterstock)

Para preservar o bem-estar do bichinho, a Comac (Comissão de Animais de Companhia do SINDAN)  recomenda criar um ambiente aconchegante e tranquilo para acomodá-lo nos momentos de euforia.

Fechar as janelas do local onde ele está alojado, disponibilizar um esconderijo ou “cabana” com acolchoados (para abafar os estímulos auditivos) e retirar do ambiente móveis ou objetos que contenham pontas ou que sejam de vidro são algumas iniciativas válidas. Uma longa caminhada antes do jogo pode ajudar o cão a ficar mais relaxado.

Uma boa dose de carinho e alguns cuidados básicos dentre de casa preservam o bem-estar do cão na hora do jogo

A veterinária Karina Apude, da Planet Dog Resort, lista outras cinco dicas básicas para tranquilizar o cachorro e outros pets nos momentos dos jogos. Confira:

1. Evite fugas: Feche bem as portas, janelas e gaiolas. No desespero, os animais tentam escapar;

2. Crie um refúgio: Coloque seu bicho num lugar onde ele se sinta seguro. Mantenha a luz acesa e, se ele estiver acostumado, deixe TV e rádio ligados. Converse e dê carinho;

3. Solte a coleira: Quando presos, muitos animais morrem por enforcamento, no desespero de fugir dos fogos e rojões. Se precisar isolar o pet, deixe-o fechado num quarto;

4. Acalme-o: Homeopatia, florais e acupuntura podem diminuir o medo e a ansiedade do seu animal, mas esses tratamentos devem ser feitos ao longo do ano. Em casos muito graves, converse com o veterinário sobre aplicar um sedativo;

5. Proteja a audição: É possível colocar chumaços de algodão nos ouvidos dos cães. Outra opção é levá-los para algum cômodo da casa de onde se escute os estrondos com menos intensidade. Essa última opção é a mais indicada para gatos e, obviamente, pássaros.

Durante as explosões, pássaros podem se debater e acabar se machucando dentro da gaiola

Reações e sintomas negativos  - “Os cães detectam um som quatro vezes mais distante que os humanos, e isso explica a angústia vivenciada por eles em épocas festivas”, afirma Ceres Faraco, veterinária parceira da Comac. “Tentativas de fuga através de portas e janelas podem provocar o atropelamento do cão na rua ou fazer com que ele se desespere dentro de casa”, alerta a especialista.

Assim como o melhor amigo do homem, gatos também podem apresentar comportamentos negativos, como tremores, tentativa de fuga, micção e defecação em locais inapropriados, dentre outros.

O mesmo alerta vai para os donos de pássaros. De acordo com Karina, as aves podem se debater e acabar se machucando ao prender uma asa, uma pata ou mesmo o bico na gaiola. “Alguns animais chegam a morrer em função de aceleração cardíaca provocada pelo susto”, alerta a especialista.

Fonte: ZAP Imóveis

Encontre-nos no facebook