Entre em contato por e-mail

Confira nossos artigos e notícias

Conecte-se no Twitter com a Duplique Desembargador!

Download de aplicativos (como o Adobe Reader) e modelos de documentos e formulários

Acompanhe a evolução dos condomínios da Duplique Desembargador!

Conecte-se no Facebook com a Duplique Desembargador!

Conecte-se no Google Plus com a Duplique Desembargador!

Sistema “pay per use” tem virado tendência em condomínios: Veja como funciona.

Consiste em oferecer serviços como limpeza e arrumação que só serão cobrados mediante a contratação dos mesmos.

Além do preço do imóvel, um dos critérios levados em conta na hora de comprar ou alugar um apartamento é a comodidade proporcionada pelo condomínio. E é cada vez mais comum que novos empreendimentos sejam lançados com diversos serviços de lazer e conveniência aos moradores. Desde um espaço para meditação até salão de jogos, cabe tudo (ou quase) nos condomínios modernos. A comodidade proporcionada pela vida em condomínio parece não ter limites. Agora, além de todos os benefícios tradicionais, a novidade é o serviço ‘’pay per use’’ (pague pelo uso).

Para facilitar a vida dos moradores, diversos condomínios passaram a adotar esse sistema com os mais variados serviços: limpeza e arrumação, recreação infantil, serviços de pet shop, lava car e personal trainer são alguns deles. A vantagem desse tipo de oferta é a possibilidade de pagamento apenas por quem utilizar, não onerando o condomínio como um todo.

Segundo a Aabic (Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínos), a redução dos preços pode chegar até 5%, em média, em relação aos valores praticados no mercado. Dependendo do tamanho do empreendimento, caso feche pacotes com muitos moradores, por exemplo, esse tipo de prestação de serviço pode ser ainda mais vantajoso.

Porém, antes de colocar em prática o sistema, o assunto deve ser aprovado em assembleia e inserido na convenção do condomínio, como qualquer outra matéria. O responsável legal pela contratação da empresa, ou do profissional que irá passar a ofertar os serviços, bem como a forma de pagamento são de responsabilidades do síndico, assunto que também deve ser debatido em reunião.

Caso haja insatisfação com os serviços prestados pela empresa, o morador precisa informar o síndico e relatar o ocorrido. Até mesmo por isso, edifícios que utilizam do sistema “pague para usar” tem optado por criar um site para esse fim. No sistema, é possível organizar o agendamento de horários, a descrição dos serviços, e as sugestões e reclamações podem ser feitas de maneira rápida e segura.

Mais que um modismo passageiro, ao aliar comodidade e praticidade, o sistema “pay per use” parece ter vindo para ficar. E com ele, o fim da desculpa pela falta de tempo.

Por: Guilherme de Paula Pires

Fonte: http://www.vivaocondominio.com.br/

Encontre-nos no facebook